"Vão as águas nostálgicas do rio"

Vão as águas nostálgicas do rio…
Vão e sobre elas, a correr com elas,
distingo ainda, ao longe, as claras velas
de um ligeiro, fantástico navio.

Lá vai! Aonde? A que país sombrio?
Ou a que praias rútilas e belas
irá tocar, à luz de mil estrelas?
Sabe-lo, ó mar? E tu, luar de estio?

Ninguém sabe, só Deus, mas eu agouro
que, em certo dia azul, azul e ouro,
há-de o navio balouçar num porto.

Há-de chegar, como ao final de um sonho,
de brancas velas, plácido e risonho
por fora e, dentro, o capitão já morto…


Autor: 
João Cabral do Nascimento (1897-1978)
Editado por: nicoladavid


Comments