"Hora de Adeus"


Hora de adeus:

 

                           - O vasto campo em frente,
já verde, à flor da terra humedecida.

Em nós, a luz desta paixão contida;

em torno, a sombra, vindo lentamente ...

 

Um longo olhar...

                            - Interminavelmente,
demoramos no ocaso a despedida,
Custa tanto o momento da partida,

por mais que o amor prometa, e nos contente...

 

Mas é forçoso enfim:

 

                           - O Tempo, e a Morte,
suspendem a carreira: -
em minha sorte,
param, sorrindo ao mágico lampejo...

 

- E não sei bem, no encanto da miragem,
se o beijo tem reflexos da paisagem…

- se na paisagem se- prolonga o beijo...

 

Autor: Branca de Gonta Colaço (1888-1945)
Editado por: nicoladavid





Comments