Tua Goa nessa altura cidade

 

Tu, Goa, in illo tempore cidade,
Sempre tens habitantes de bom lote!
Não receiam que a cor se lhes desbote,
Privilégio da mista qualidade.

Nenhum há que não conte, e sem vaidade,
Que seu primeiro avô, brutal Quixote,
Dera no padre Adão com um chicote,
Por lhe haver disputado a antiguidade.

Diz-nos esta república de loucos
Que o cofre de Marata é ninharia,
Que do Grão-Turco os réditos são poucos;

Mas em casando as filhas, quem diria
Que o dote consistisse em quatro cocos,
Um cafre, dez baús, e a senhoria!


Autor: Manuel Maria Barbosa du Bocage (1765-1805)
Editado por: nicoladavid

Comments