Quarta-feira, catorze do corrente

 

Quarta-feira, catorze do corrente,
Se apresenta outra vez com bom cenário,
No Salitre, a comédia do «Antiquário»,
A que tem concorrido imensa gente.

É obra traduzida novamente
Por um poeta, amigo do empresário,
Memorião que engole um dicionário,
E orna de verdes pâmpanos a frente.

Em lugar de entremês, se há-de seguir
Do Franco a grande peça curiosa,
Tragédia de «Sesóstris», que faz rir.

Tem versos naturais; parecem prosa!
Que venha o nobre público aplaudir
Espera a companhia obsequiosa.


Autor: Manuel Maria Barbosa du Bocage (1765-1805)
Editado por: nicoladavid

Comments