De suspirar em vão já fatigado

 

De suspirar em vão já fatigado,
Dando trégua a meus males eu dormia;
Eis que junto de mim sonhei que via
Da Morte o gesto lívido, e mirrado :

Curva fouce no punho descarnado
Sustentava a cruel, e me dizia:
"eu venho terminar tua agonia ;
morre, não peneis mais, oh desgraçado ! "

quis ferir-me, e de Amor foi atalhada,
que armado de cruentos passadores
aparte, e lhe diz com voz irada :

"Emprega noutro objecto os teus rigores ;
que esta vida infeliz está guardada
para vítima só de meus furores. "

Autor: Manuel Maria Barbosa du Bocage (1765-1805)
Editado por: nicoladavid

Comments