"Apenas vi do dia a luz brilhante"

Apenas vi do dia a luz brilhante

Lá de Túbal no empório celebrado,
Em sanguinário carácter foi marcado
Pelos Destinos meu primeiro instante;

 

Aos dois lustros a morte devorante

Me roubou, terna mãe, teu doce agrado;
Segui Marte depois, e enfim meu fado
Dos irmãos e do pai me pôs distante;

 

Vagando a curva terra, o mar profundo,
Longe da pátria, longe da ventura,
Minhas faces com lágrimas inundo;

 

E enquanto insana multidão procura
Essas quimeras, esses bens do mundo,
Suspiro pela paz da sepultura.

 

 

Autor: Manuel Maria Barbosa du Bocage ( 1765-1805)
Editado por: nicoladavid

Não esqueça ligar o som.

Comments