Elogio da terceira coisa

 

Sempre se ouve quão depressa
as mães perdem os filhos, mas eu
preservei o meu. Como o preservei? Através
da terceira coisa.
Eu e ele éramos dois, mas a terceira
coisa comum, a causa comum, foi ela
que nos uniu.
Eu mesma ouvi, às vezes,
conversas entre filhos e pais.
Mas como eram melhores as nossas conversas
sobre a terceira coisa, que nos era comum,
grande e comum para tantos homens!
Que perto nos encontrávamos, perto
dessa coisa: Que bom era para nós essa
boa coisa perto!


Autor: Bertolt Brecht (1898-1956)
Editado por: nicoladavid

Comments