Balada da Ranger e Condessa

 

Na terra da Suécia viveu uma condessa
Ela estava tão pálida e tão bonita.
"Senhor, salvaguarda, Senhor meu alcance é liberado,
vamos lá, vamos lá!
Guarda, ajoelhar-se, em breve, e átamela! " 

"Senhora condessa, condessa, não me olhe assim
Vou servir para o meu pão.
Seus peitos são brancos, mas o machado é frio,
é frio, é frio!
O amor é doce, mas a morte amarga. "

O guarda fugiu na mesma noite.
Ele desceu a colina até chegar ao mar.
"Senhor barqueiro, o senhor barqueiro, me leve em seu barco
em seu barco, o barco!
Barqueiro, eu tenho que ir todo o caminho do mar. "
Entre o galo e a raposa saiu do amor.
"Oh, ouro, você realmente ama?"
A noite estava bem, mas veio o amanhecer,
veio, veio:
todas as penas de suspensão do mato.

Autor: Bertolt Brecht (1898-1956)
Editado por: nicoladavid

Comments