Ablução

 

Quando há alguns anos lhe mostrei

Como se lavar de manhã cedo

Com pedacinhos de gelo na água

Da pequena tigela de cobre

Submergindo o rosto, os olhos abertos

Lendo as linhas difíceis de seu papel

Na folha presa à parede, ao secar-se

Com a toalha áspera, eu disse:

Isto você faz para você mesma, faça

De modo exemplar.

 

Agora me dizem que você deve estar na prisão.

As cartas que lhe escrevi

Ficaram sem resposta. Os amigos aos quais falei de você

Silenciaram. Nada posso fazer por você. Como será

Sua manhã? Ainda fará algo para você?

Esperançosa e responsável

Com movimentos certos

De modo exemplar?

Autor: Bertolt Brecht (1898-1956)
Editado por: nicoladavid

Comments