Teatro da Vida

 

Traze, ao pisar a cena, a parte bem sabida;
Seja-te, a cada frase, a memória fiel;
À face dá a expressão na rubrica exigida,
De algoz, histrião, galã, pai nobre ou menestrel.

E a platéia verás palpitar comovida;
Turbas ocorrerão a acalmar-te, em tropel.
Porque, artista perfeito, à ficção desta vida,
Ator, representaste, a rigor, teu papel.

Mas se, com a própria face e espontânea atitude,
Disseres o que à mente e o que aos lábios te vêm
Sem mudança na voz, sem que o teu gosto mude,

Só colherás o apupo e o riso de desdém.
Pois no palco mais vale o que melhor ilude.
E na vida... ora, a vida é um teatro também.

Autor: Bastos Tigre (1882 - 1957)
Editado por: nicoladavid

Vídeo do YouTube

Comments