Poesia


Embora a turba iconoclasta, em fúria,
Pretenda depredar os teus altares,
Resistirás! Sobrepairando à injúria,
Farás honra aos teus numes tutelares.

Dos teus próprios fiéis fere-te a incúria;
Abandonam-te às chufas, aos esgares
Dos novos corifeus de língua espúria,
De ideias parvas e expressões alvares.

Mas viverás, Poesia, soberana,
Pelo esplendor solar que te ilumina.
Dando-te a excelsa forma parnasiana.

Não tombará teu nobre culto em ruína,
Pois és, Poesia, o anseio da alma humana
De conseguir a perfeição divina.

Autor: Bastos Tigre (1882 - 1957)
Editado por: nicoladavid

Comments