Magnus Dolor



Na tragédia cristã, do Horto das Oliveiras
Ao Calvário, onde cristo é pregado na cruz,
A dor domina o quadro, imensa e sem barreiras;
Tudo da dor promana e tudo à dor conduz.

A injustiça, a calúnia, as frases chocarreiras,
Espinhos na cabeça e calhaus nos pés nus,
O escarro à face e o fel das horas derradeiras,
É a dor superlativa a paixão de Jesus!

Mas qual a maior dor entre essas dores mudas?
A do corpo a sangrar? o doesto e a zombaria?
A fraqueza de Pedro? Ou a protérvia de Judas?

Jesus! A dor maior que na cruz te crucia
Contra a força da qual com o seres Deus te escudas,
É o pranto que magoa os olhos da Maria...

Autor: Bastos Tigre (1882 - 1957)
Editado por: nicoladavid
Comments