Do Cimo da Montanha

 

Ei-lo atingido, o cimo da montanha...
Vai ser muito mais rápida a descida.
Enxugo o suor que as minhas faces banha
e olho, atrás, toda a estrada percorrida.

Jazeis em pó, castelos meus, de Espanha!
Quanta energia, em vos erguer, perdida!
A ânsia de vos dar vida foi tamanha
que, sem que eu visse, foi passando a vida.

Mas estou de mim mesmo satisfeito!
N'alma ainda sinto o amor, o sonho, a fé;
e nem ódio, nem ciúme, nem despeito.

E, hoje, o maior de entre os meus sonhos é
descer a escarpa, o busto alto e direito,
como subi, sem me curvar, de pé!

Autor: Bastos Tigre (1882 - 1957)
Editado por: nicoladavid

Comments