Amor Geométrico

 

O meu amor é um círculo; evidente
É que o centro do amor é o coração;
Ando há muito buscando uma tangente
Ou seja - um pé - para pedir-te a mão.

Deste-me corda e eu digo francamente
Quero abrir o "arco" procuro agora em vão;
Cupido, o deus menino onipotente,
Fundo cravou-me a "flecha", o maganão!

Do círculo do amor calculo a área:
(fórmula)... e a mente vária
Sinto, enquanto a paciência se me esvai.

Conheço (pi) (valor aproximado);
O que, porém, me deixa atrapalhado
É o "quadrado do raio", que é teu pai!

Autor: Bastos Tigre (1882 - 1957)
Editado por: nicoladavid

Comments