Amor Algébrico

 

Ponhamos nós em equação, primeiro,
Do nosso afeto o original problema;
E depois resolvamos o sistema
Pelas regras de Cunha e Serrasqueiro.

Procuro x, sem que enganar-me tema
E encontro-o, após um cálculo ligeiro,
De valor positivo, real, inteiro,
(X representa o amor que a ti me algema).

Tem duas soluções, coisa é sabida,
Uma equação a dois (do grau segundo)
Busco x linha e a tenho resolvida.

Mas, ah! de amante, algébrico fadário!
Eis o valor do teu amor profundo:
"Raiz de menos um!". É imaginário...

Autor: Bastos Tigre (1882 - 1957)
Editado por: nicoladavid

Comments