Muita gente inocente tens matado

 

Muita gente inocente tens matado,

Tanta gente nas prisões acorrentada;

Tanta família já foi destroçada,

Um Povo inteiro por ti subjugado.

Um Povo que tem sido escravizado,

Dentro da sua Pátria tão amada;

Vítima da fúria desenfreada,

Dum bandido como tu, óh desgraçado.

Governas contra a vontade popular,

Com o teus esbirros para te guardar,

Feroz animal, sangrento, cruel e vil.

Mas podes crer que a vitória final,

(Que fará cair o teu jugo infernal),

Libertará todo o Povo do Chile

Autor: Augusto Gil (1873-1929)

Editado por: nicoladavid

Comments