"Soneto"

 
 
 
 

Ao meu prezado irmão
Alexandre Júnior
pelas nove primaveras
que hoje completou.
 


Canta no espaço a passarada e canta
Dentro do peito o coração contente.
Tu’alma ri-se descuidosamente,
Minh’alma alegre no teu rir s’encanta.

 Irmão querido, bom Papá, consente
Que neste dia de ventura tanta
Vá, num abraço de ternura santa,
Mostrar-te o afeto que meu peito sente.

 Somente assim festejarei teus anos;
Enquanto outros que podem, dão-te enganos,
Jóias, bonecos de formoso busto,

 Eu só encontro no primor de rima
A justa oferta, a jóia que te exprima
O amor fraterno do teu mano


 

Augusto.

Em 28 de abril de 1901

 

Autor: Augusto dos Anjos
Editado por: nicoladavid

Não esqueça ligar o som.
Comments