Ao Sol Eternamente


Ela foi encontrada!
Quem? A eternidade.
É o mar misturado
Ao sol. 

Minha alma imortal,
Cumpre a tua jura
Seja o sol estival
Ou a noite pura.
 
Pois tu me liberas
Das humanas quimeras,
 Dos anseios vãos!
Tu voas então... 

— Jamais a esperança.
Sem movimento.
Ciência e paciência,
O suplício é lento. 

Que venha a manhã,
Com brasas de satã,
O dever
É vosso ardor. 

Ela foi encontrada!
Quem? A eternidade.
É o mar misturado
Ao sol.

Autor: Arthur Rimbaud (1854-1891)
Editado por: nicoladavid

Comments