Retrato do Mulher

 

Pureza sempre a há
onde pureza pomos.
Puros são estes pomos
que o corpo dela dá.

E, pois que puros são,
colhê-los é que é puro.
Um sonho nunca é escuro
fora da escuridão.

Impureza na fome
está só em não comer.
Puro é todo o prazer
que por puro se tome.

De peixes e sargaços
na cabeça entrançados,
vem vestida de mar.

São-lhe de brisa os passos
e os olhos rasgados
um incêndio solar.

Mas, mal lhe estendo os braços
não há sonhos errados.
O erro é despertar.

Autor: Armindo Rodrigues (1904-1993)
Editado por: nicoladavid

Comments