"De Orpheu – 1.º Volume"


Sonham comigo tuas mãos esguias,
As tuas mãos esguias no regaço;
Minhas saudades são as pedrarias,
Estrelas dos teus dedos no espaço.

 

Sonham comigo tuas mãos esguias,
Num gesto de abandono e de cansaço...
E o mesmo gesto unge as horas frias,
Que a distância vem pôr no teu regaço.

 

Teus dedos longos são as naus partidas,
Por noites sem luar e sem estrelas,
A paragens remotas, esquecidas...

 

E tua alma fica sempre em vão,
Olhando dos teus olhos nas janelas
O mar sem naus, e apenas solidão.

 

Autor: Armando Côrtes Rodrigues (1891-1971)
Editado por: nicoladavid



Comments