"Súplica a Eros"


Quando regressa? É tão tarde!
A minha vida está suspensa.
O tempo arde.
A noite é imensa.
 

Conto os minutos pelo espelho.
A minha imagem, como foge!
Amar a morte é amar um velho.
Amar teu rosto é nascer hoje.
 

Quando regressas? Inquieta,
A Inspiração anda a buscar-te.
Acode ao poeta! Acode ao poeta
Que faz do amor motivos d'arte! 

 

Autor: António Manuel Couto Viana
Editado por: nicoladavid

Não esqueça ligar o som.
 
Comments