"Epitáfios"


De uma cocotte

Como era bom pompear, em carros a Daumont,
sensacionais chapéus!
Mas lá no céu cristão que falta de bom-tom!
Não se usa lá carmim, pó-de-arroz, nem lorgnon,
nem se bebe Bordéus!...

De uma mundana

Rainha dos salões, mais formosas que as lendas
féericas do Erin!
O que te há de afligir nestas horas tremendas
é aparecer a Deus sem peignoir de rendas
e sem pôr o teu carmim.

Da Rigolboche*

Deusa do bacanal, foste a amável Naná,
ruidosa do bom tom.
E se acaso, nos céus, se baila como cá,
decerto já piscaste um olho a Jeová,
dançando o cotillon.


Autor: António Gomes Leal
(1848-1921)
Editado por: nicoladavid



Comments