A Maior Dor Humana – Soneto À Virgem


Ó Virgem! Eu vi Job leproso em seu lameiro, 
torcido qual carvalho a que o tufão arraste, 
exclamar na aflição: — Maldito o homem primeiro! 
Maldito o ventre, ó Mãe, em que tu me geraste!

Ó Virgem! Eu vi Cristo amarrado ao madeiro, 
como o branco marfim ou lírio roxo na haste, 
suspirar num sol-pôr magoado e derradeiro: 
— Ó meu Deus! Ó meu Deus! Porque Me abandonaste? 

Ó Virgem, vi Raquel chorando os filhos mortos, 
errante, esguedelhada, olhos doidos, absortos. 
Pelas serras, à lua, encher Judeia de ais.

Mas vi-Te, ó Mãe, depois ao teu morta estreitada, 
branca, sem cor, sem voz, feita em pedra, pasmada, 
e a soluçar uivei: — Tu é que sofres mais!

Autor: Gomes Leal (1848-1921)
Editado por: nicoladavid

 
Comments