"Ode Anacreôntica"


Essa linda borboleta

De cem cores esmaltada,
Que em mil giros inquieta
Destas rosas namorada
Ora as cerca, ora bafeja,

Ora as pica, morde ou beija,

 

É um vivo emblema claro

Do que sinto, amado emprego,
Sim, 
ó Clóri, eu to declaro;

Borboleta sem sossego

E meu terno coração;

Os teus lábios rosas são.

 

 

Autor: António Diniz da Cruz e Silva (1731-1799)

Editado por: nicoladavid

Não esqueça ligar o som.

Comments