Nascente


O nascente que encontrei,
De água pura e cristalina,
água que admirei,
Água pura e Divina,
Água fresca,
Muito leve, e sadia,
Que dela bebi a cada dia,
Eu sentia,
A água,
Que corria.
E eu ali,
Sentado,
Junto ao nascente,
Pus-me a pensar,
Onde esta água vai parar?
Segui a água,
Fiquei admirado!
Que a água que eu segui
Agora, era um lago,
Nele entrei,
Nadei.
Saí, e fiquei sentado,
Pensei,
Vou passar para o outro lado,
Dei a volta,
Mas pude reparar
Que as águas deste lago,
Iam continuar,
É um rio!
Clamei:
É o rio que eu achei.

Autor:António Jesus Batalha
Editado por: nicoladavid


Comments