"Lembranças"


Quando pela madrugada,
Saía para o trabalho,
Ainda noite calada,
Pouca roupa de agasalho.

Quando chegava à noitinha,
Já estava posta a mesa,
Naquela branca cozinha,
Com grande lareira acesa.

Ao lume tenho aquecido,
Depois da chuva molhada,
O meu corpo arrefecido,
Por aquela água gelada.

Passei dias e muitos anos,
Mas poucos dão o valor,
Na vida o que causa danos,
No corpo cheio de dor.

Mas tudo é já passado,
Recordo por recordar,
Agora que aposentado,
Não deixo de trabalhar.

Autor: António Jesus Batalha
Editado por: nicoladavid 


Comments