"Caminho"

 

No caminho estreito que sigo,
Não há cruzamento para o alvo,
Em sonhos e guerra com inimigo,
Deus me guarda, me mantém salvo.

Sou caminhante bem descuidado,
Dos perigos que caminho encerra
Num leve descuido fico atolado,
Passa o inverno, vem primavera.

Deus me liberta, não me queixo,
Falta minha, e meu desleixo,
É de confessar que sou culpado.

Sigo caminho, há novo dia,
Reina em mim a paz e harmonia,
Sigo alegre, e muito animado.


Autor:  António Jesus Batalha
Editado por: nicoladavid

Comments