"Ao Contemplá-lo"

 

Ao contemplá-lo ergo os braços,
Choro por amar e ser amado,
Deu-me uma visão, e arrebatado,
Como em voando pelos espaços.

Em mim brota Seu grande amor,
Arrancando o desejo pestilento,
Sigo para o alvo que está em frente,
Envolto nas chamas do Queimador.

Quando chegar o dia da justiça,
Ou aparecer a hora do resgate,
Há terminado então todo o combate.

Não mais haverá areia movediça,
Caminho na rocha e bem seguro,
Viverei eternamente meu futuro.

Autor: António Jesus Batalha
Editado por: nicoladavid

Comments