Explosão de azul

 

Mar vaga rocha espuma
contacto líquido de um grito

cada peixe é uma mágoa cintilante
movimento giratório incessante
em redor do desespero

condenado a não ser senhor da terra
nem do mar
expulso da fluidez do seu corpo aquático
o homem enfeitou-se de oceanos
ilimitou-se de fronteiras e de mapas
passou a escrever nomes vazios
na imensa explosão de azul

resta gravar enquanto é tempo
a nossa imagem nas águas e no sal
e ensaiar sobre este cadafalso
de sentidos contrafeitos
sob o efeito do enjoo
a fuga a explosão o voo


Autor: André Moa
José Guilherme Macedo Fernandes”
(1939-2011)
Editado por: nicoladavid

Comments