"Um poema"


Giacometti, corpo fragilizado, ténue

Esvai-se a tua escultura.

A ti, o mais efémero.

 

Discreta morte, esta, dos mundos indizíveis.

Lamento: a dor é originária do parto.

 

Talvez seja este o limite. O nosso.

Aquele que pressente a fugacidade da permanência.

 

Anjos caídos?

Brônzeas figuras.

A criança não conhece o homem

Neste universo sem chave.


Autora: Ana Marques Gastão
Editado por: nicoladavid



Comments