"Efígie Hemafrodita"


Escuto, escrever é escutar,

ver, calar, deslizar,

a ritmo de hamadríades

que nascem e morrem

dentro d’uma árvore oca.

 

Se eu fosse essa árvore,

de linhas preponderantes

e ouvidos de sol,

efígie hermafrodita

de tromba sugadora,

impiedosa e melódica

– mas sou apenas máscara,

sombra da sombra de mim.

 

Autora: Ana Marques Gastão
Editado por: nicoladavid



Comments