"Rosas do meu caminho"

 

Quem julga que são rosas as pedras do

                                                 [meu caminho

Não sabe que encontrei sempre nas rosas

                                               [que me deram
Perfumes que ao colher, me deixaram  

                                                         [espinhos
Dos olhos me caiu o sangue que fizeram

Porque o perfume é passageiro, é fugaz
Como lume que nos faz mais firme à cinza

                                                         [aquecida
E os espinhos numa ferida que me doa
Na alma de uma pessoa duram tanto como

                                                              [a vida

Quisera como dantes saber rir em 
                                                    [gargalhadas
Tão ricas que no ar ganhassem formas

                                                       [esculpidas
Porém no sol da vida há nuvens

                                                   [equiparadas
Enchem de sombras negras a luz de certas

                                                                [vidas

E quando canto todos vêem com certeza
Na minha vida a beleza dum sonho que

                                                    [quer vingar
Mas ninguém pode dar vida a um sonho

                                                                 [belo
É construir um castelo que é todo feito no

                                                                     [ar




Autor: Amália Rodrigues (1920-1999)
Editado por: nicoladavid

 

Comments