Por detrás das palavras permanece

 

“Rainer Maria Rilke”

 

 

Por detrás das palavras permanece

o indizível... No verbo silenciado

o canto, e é no canto iluminado

arde o maravilhoso, resplandece

 

que o espírito entrevê (quase) o inefável...

Ah no canto existir! Canto-experiência,

não sentimento; o canto, eis a existência!

E eis que o canto se eleva e no insondável

 

(pura contradição) resplende a rosa...

E quando a noite invade uma cidade,

a solidão do homem, amarga e forte,

 

com os rios passa... A criatura, ansiosa,

um bem suplica a oculta divindade:

— Morrer, Senhor, de nossa própria morte!

Autor: Alphonsus de Guimaraens Filho (1918-2008)
Editado por: nicoladavid

Comments