Os Cavalos de Fogo

 

A luz dissolve as pedras. E os cavalos

de fogo se projetam contra o vento.

Lá se vão eles, potros de ar sangrento,

por entre os sóis que intentam sufocá-los.

 

Lá se vão eles, potros de ar cinzento,

como se a própria luz incendiária

lhes desse uma aparência imaginária

de cor, de som, de céu em movimento.

 

E então o céu me envolve. Eis que me arrasta

o seu raro esplendor, o trepidante

fremir de intenso azul. No alto me espera

 

uma forma incorpórea, a visão casta

do que fascina e queda agonizante...

— Campo do amor chamando a primavera.

Autor: Alphonsus de Guimaraens Filho (1918-2008)
Editado por: nicoladavid

Comments