Busquei-te em tudo quanto me fugia

 

Busquei-te em tudo quanto me fugia

e solitário ardeu meu coração;

em cada rua e casa e torre não

vi mais que o silêncio que fremia

 

na tua sepultura... Onde estaria

quem me vestiu de sonho e solidão,

e que país remoto habitaria,

se agora tudo é morte, e as coisas vão

 

aos poucos se perdendo na neblina

da alma? De joelhos, contemplando

a noite que circunda o ser, procuro

 

ver-te na grande paz, na paz divina

que em cada estrela fica latejando

e docemente envolve o mundo escuro.

Autor: Alphonsus de Guimaraens Filho (1918-2008)
Editado por: nicoladavid

Comments