Sentença De Amor


Tirou das asas a pena

E lavrou aqui Amor,

Neste livro de primor,

Sentença que já condena,

Por sacrílego e traidor,

A todo o que a mão impura

Nestas páginas puser,

Tomando, com falsa jura,

O seu santo nome em vão,

Para nelas escrever

O que impresso não tiver.

Bem fundo no coração.

 

Autor: Almeida Garrett (1799-1854)
Editado por: nicoladavid


Comments