Noite de São João

 

Té os moiros da Moirama Festejam a São João:
São João, São João, São João!
Dai-me peras do vosso balcão.
Cantiga Popular

I

— «Meia-noite já é dada,
São João, meu São João,
Nesta noite abençoada
Ouvi a minha oração!

«Ouvi-me, santo endito,
Ouvi a minha oração,
Com ser eu moira nascida
E vós um santo cristão:

«Que eu já deixei a Mafoma
E a sua lei do Alcorão,
E só quero a vós, meu santo,
Santo do meu Dom João.

II

«Como eu queimo esta alcachofa
Em vossa fogueira benta,
Amor queime a saudade
Que no peito me rebenta.

«Como arde esta alcachofa
Na vossa fogueira benta,
Assim arda a negra barba
Do moiro que me atormenta.

«Como esta fogueira abrasa
A minha alcachofa benta.
Ao meu cavaleiro abrase
A chama de amor violenta.

                  III

«Sacudi do alto do céu
Vossa capela de flores,
Que neste ramo queimado
Renasçam por meus amores.

Orvalhadas milagrosas
Que saram de tantas dores,
Neste coração, meu santo,
Acalmem os meus ardores.

São João, meu São João,
Santo de tantos primores,
Nesta noite abençoada,
Oh! trazei-me os meus amores!»

IV

Já se apagava a fogueira,
Já se acabava a oração,
Ainda está de joelhos
A moira no seu balcão.

Os olhos tinha alongados,
Batia-lhe o coração:
Muita fé tem aquela alma.
Grande é a sua devoção!

Ouviu-a o santo bendito:
Que, por sua intercessão.
Daquele êxtase acordava
Nos braços de Dom João.

 

Autor: Almeida Garrett (1799-1854)
Editado por: nicoladavid

Comments