De Gosto Cantara Atridas




(De Anacreonte)

 

 

De gosto cantara Atridas,

E a Cadmo erguera louvor

Porém as cordas da lira

Só sabem dizer amor.

Há pouco, mudando-a toda,

Novas cordas lhe assentava,

E de Alcides os trabalhos

A cantar principiava:

Mas, contra as minhas tenções,

Em vez de marciais furores,

De teimosa e como a acinte,

Sempre vai soando amores,

Adeus, heróis! adeus, glória!

Adeus, guerreiro furor!

As cordas da minha lira

Só sabem dizer amor.

Autor: Almeida Garrett (1799-1854)
Editado por: nicoladavid

Comments