Anunciação

 

Eu estava sozinho,
como os pobres sem rua.
O amor quanto caminho
nos insinua!

Eu andava, sem ti,
como as velas sem mar.
Que maré recebi de teu olhar!

Sem saber, era triste
como as asas sem céu.
Que azul me descobriste
e me perdeu!

 

Autor: Alberto de Serpa (1906-1992)
Editado por: nicoladavid

Comments