"Recordação"



Eu bem sei

Que rodo em muitas esferas

E não sei

Por onde me levas, poesia.

Quando vou,

E não encontro ninguém,

Tenho medo do que sei:

Um filho de sua mãe

E seu pai,

Ou algum longínquo avó,

A quem um poeta sai.

Será também o Deus da infância

E a árvore sagrada

De frutos proibidos,

Na fragrância

Com que rasguei meus vestidos

E não retirei os ninhos...

 

Enchi de rosas a terra

E levo nas mãos espinhos.

 


Autor: Afonso Duarte (1854-1958)
Editado por: nicoladavid

 

Comments