"Errando no Museu Picasso"


Picasso
         erra
quando pinta
                e erra
quando ama.

Mas quando erra,
                     erra
violenta e
generosamente,
                   erra
com exuberante
arrogância,
             erra
como o touro erra
seu papel de vítima,
sangrando
quem, por muito amar, fere
e sai ovacionado
com banderilhas na carne.

Pintor do excesso
                      e exuberância,
Picasso
          é extravagância.
Ele erra,
          mas nele,
                      o erro
mais que erro
              - é errância.

 

Autor: Affonso Romano de Sant'Anna
Editado por: nicoladavid


Comments