Louvando o Marquês de Pombal

 


(Ao enterro do Excelentíssimo Marquês de Pombal,

que deu fim aos Jesuítas)

 

 

Marcha em paz, ó Marquês, e afronta ousado

Da fria sepultura a escuridade;

Que a ser do Elíseo, o que se diz verdade,

Inda nele o teu Rei te of’rece o lado.

 

Tu lhe guardaste a vida, o Trono, o Estado;

Tu lhe assististe enfim com tal lealdade,

Que se o Letes não muda de vontade,

Terás inda além dele o Régio agrado.

 

Marcha, torno a dizer, sem que a vanglória

Deixe as tuas acções em bronze escritas,

Ou forme  delas volumosa história:

 

Pois te basta sem frases esquisitas,

Que mostre o teu sepulcro esta memória:

Aqui jaz quem deu fim aos Jesuítas.

 

Autor: Abade de Jazente (1719-1789)
Editado por: nicoladavid

Comments