Filosofia de vida

 

Não desejo chegar a tal grandeza,

Que aduladores vis cerquem meus lados,

Nem palácios magníficos doirados,

Ricas alfaias, nem polida mesa.

 

Não me lembram heranças, nem riqueza,

Que me obrigue a pôr nela meus cuidados;

Não ocupar honrosos magistrados,

Nem outras coisas vãs, que o mundo preza.

 

Quisera só fugir de tanta estima,

Livrar-me deste pélago profundo,

Mudar da natureza que me anima;

 

Subir da lua ao globo alto e rotundo,

E depois de apanhar-me lá de cima,

Desatar os calções, cagar no mundo

 

Autor: Abade de Jazente (1719-1789)
Editado por: nicoladavid

Comments