Fidelidade do Cão “Diamante”

 

Se parto, tu, “Diamante” descontente

Ficas guardando o solitário assento;

Mas bem que triste, com robusto alento

Vibras contra o ladrão o agudo dente.

 

Se volto, tu me esperas diligente,

Mostrando-me um fiel contentamento;

Pois logo com festivo movimento

És em casa o primeiro que me sente.

 

Se caço, com gentil velocidade

De um salto abocas a ligeira presa,

E a trazes com leal docilidade.

 

Oh! Como eu fora descansado à mesa!

Se pudesse encontrar tanta lealdade

No António, no José, e na Teresa.

 

Autor: Abade de Jazente (1719-1789)
Editado por: nicoladavid

Comments