Depois que o Autor renunciou o seu Benefício

 

Eu, que junto à Cabana, em que vivia,

Tive uma rica Ermida: e afortunado

Ovelhas tantas tive, que o montado

Com elas branquejar alegre via:

Eu, que tive prazer, tive alegria,

Tive nome entre os mais; eu desgraçado,

De quanto tive agora despojado,

Não tenho nada mais, que a noite, e dia:

Eu mesmo deixei tudo: e unicamente,

A saudade nos cofres da memória

Com desvelo guardei, mas imprudente;

Pois lendo nela a minha triste história,

Me fazem ser mais duro o mal presente

Doces lembranças da passada glória.

 

Autor: Abade de Jazente (1719-1789)
Editado por: nicoladavid

Comments