Ao Marquez de Pombal



É tal, Marquês preclaro, é tal o aumento,

Que às Armas tens, que tens às letras dado,

Que o lustre, que se deve ao teu cuidado,

Te dobra, e não distingue o luzimento.

 

Da muda habitação do esquecimento

As soubeste extrair, e afortunado

Logra com elas o florente Estado

Numas defesa, e noutras ornamento.

 

Tu com progresso igual na concorrência

Lhe fizeste recíproca a vitória,

Sem que ceda nenhuma a preferência.

 

E tanto que inda as Filhas da Memória

Se lembram nesta nobre competência

De dous triunfos teus, uma só glória.

 

Autor: Abade de Jazente (1719-1789)
Editado por: nicoladavid

Comments