Amores


Olha Nize, vem cá; falemos claro

Já agora a tua história está sabida

E loucura será mudar de vida

Se nunca há-de calar-se o mundo avaro: 
 

Inda que, de virtude exemplo raro,

Te mostres do passado arrependida,

Nada com isso alcanças; que perdida

A honra uma só vez, não tem reparo.


Se faltaste ao dever, e a sorte escura

Eterna nódoa sobre ti derrama,

O afecto ao menos conservar procura.

 
Torna outra vez de amor á doce chama;

Que será duplicar a desventura,

Perder o Amante, e não cobrar a fama.

 

Autor: Abade de Jazente (1719-1789)
Editado por: nicoladavid


Comments