"Oração Final"

 
Senhor! os anos vão depressa ...

Tende piedade dos meus ais!
Como lírios sobre uma essa
Eles são tristes e virginais ...

 

Senhor! Começam no cabelo
Bem depressa as cãs a nevar. ..
Oh! vinde ouvir o meu apelo,
São as crianças a chorar!

 

São as brancas ingenuidades

De olhos em êxtases cristãos;

São os presos, das velhas grades
Erguendo à luz as magras mãos ...

 

São purezas ensanguentadas

Que vão na romagem dos Céus ...
T an tas misérias desoladas!

Serei digno de vós, meu Deus?

 

Tende piedade dos meus prantos
Que choram rios de ilusões ...
Descei-me os vossos olhos santos
Num estelário de perdões!

 

Autor: Júlio Brandão (1869-1947)
Editado por: nicoladavid

Comments