"Shams É O Sol De Rumi"


"Estivesse eu no Leste ou no Oeste,
estivesse eu para ascender aos céus,
eu não teria encontrado nenhum traço Teu,
e nenhum traço da vida eterna.

Eu estava entre os ascetas da terra,
senhores do atril;
até que um acidente do coração
trouxe-me até um amor
que nada pode diante de Ti
mas que chega a acariciar Tuas mãos...

Primeiro eu me apaixonei pelos livros.
E elevei-me acima de outros eruditos
e outros homens letrados.
Mas ao ver que tuas mãos forneciam o vinho
do amor divino,
eu fiquei embriagado
e quebrei minhas penas.

Eu fiz minha ablução
numa chuva de lágrimas.
A qibla* da minha oração
tornou-se a face do amado.
Se houver algum obstáculo
entre tu e eu
que seja ele despedaçado.

Melhor, se eu tiver que viver
privado de ti,
que a minha existência
seja atirada ao fogo.
'És tu o meu amante,
na Kaaba ou na igreja...

As chamas do amor desprendem-se
para além da face da terra
e do trono de Deus.
E nestas chamas eu não posso
ocultar a face de Shamsuddin...

Shams de Tabriz é o Sheikh da religião,
o significado oceânico do senhor dos mundos.
É ele o mar da alma.

Ele é aquele que se precipita,
espumando, fluindo e
renovando o mar.

Diante dele, a terra, os céus e
todas as coisas existentes,
são como nada...

Como um astro iluminado,
Mevlana se move na órbita de Shams.
Ele foi atraído para a sua luz,
absorvido na sua radiação.

Quando o sol de Shams nasce,
todas as sombras se esvanecem...

* Qibla: direção espiritual de Meca, e mais precisamente da Kaaba, a pedra negra.

Autor: Jalaluddin Rumi (1202-1273)
Editado por: nicoladavid



Comments