"Segura a Bainha do Seu Favor"


e, repentinamente, Ele escapará!
Mas não O puxes como flechas,
pois do arco Ele escapará.
Olha - todas as formas Ele assume, e
que peças Ele prega!
Na forma Ele bem pode estar presente,
mas com a alma Ele escapará.
Tu O procuras alto em Seu céu -
Ele brilha como a lua no lago,
Mas se tu entrares na água,
para o céu Ele escapará.
Tu O buscas onde o Não-Lugar é -
e Ele dá sinais do Seu lugar:
mas se tu O procuras em lugares,
para o Não-Lugar Ele escapará.
Como flechas que voam das cordas de um arco
e como o pássaro do teu pensamento...
Tu sabes por certo: da dúvida
o Absoluto escapará.

'Eu escaparei disso e daquilo, vê -
mas não sem cansaço:
Eu temo que a Minha Beleza, tão agradável,
disso e daquilo possa escapar.
Pois assim como o vento eu sou descuidado,
Eu amo a rosa, e a brisa,
Mas por medo do outono,
vê, a rosa também escapará!'

O Seu nome escapará ao te ver
tentando pronunciá-lo
Então tu não podes dizer aos outros:
'Olhem aqui, esta pessoa escapará!'
Ele escapará de ti se tu tentares
esboçar Sua imagem e forma -
A imagem escapa do papel,
a marca, do coração escapará!"


Autor: Jalaluddin Rumi (1202-1273)
Editado por: nicoladavid



Comments